Interessado em conhecer a condição de dívida do Governos no Mundo

Atualizado: 23 de Jan de 2019

O descrédito dos países em cumprirem com suas obrigações está relacionado ao crescente aumento da sua dívida nacional. O Produto Interno Bruto (PIB) mede o valor total dos bens e serviços produzidos dentro de um país durante um período de tempo, em um ano ou um trimestre fiscal. A taxa da dívida em relação ao PIB permite comparar os níveis relativos da dívida em diferentes países. O EUA é capaz de ter uma dívida muito maior em termos gerais do que países menores como a Bélgica, porque essas economias são de tamanhos muito diferentes.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) delineou, em 2018, uma visualização da taxa da dívida dos países em relação ao seu PIB. Quanto maior a dívida do país, mais central é sua posição na figura e maior a representação do país no mapa, consequentemente maior probabilidade do país ter problemas econômicos substanciais no futuro.


A primeira impressão ao analisar os países com a maior dívida em relação ao PIB, demonstra que os países desenvolvidos têm os maiores problemas de dívida. O Japão imediatamente se destaca como o gastador mais prolífico, com uma relação dívida/PIB de 238%. Isso significa que a economia japonesa, a terceira maior do mundo, não produz valor suficiente em 2 anos para pagar toda a sua dívida. Outros países que estão no time do Japão são a Grécia com 182%, seguida por Barbados (157%) e Líbano (147%).


Imediatamente fora deste anel central de gastadores ​​estão vários países pequenos ou em desenvolvimento com enormes desafios financeiros, como o Egito (103%), Chipre (97%), Mongólia (84%) e Iêmen (74%). Neste grupo também se encontra o Brasil com 83%.


Direcionado o olhar para os países que estão destacados em verde, especialmente a China (47%), que tem a segunda maior economia do mundo, mas um balanço nacional notavelmente saudável. É verdade que o país ainda está passando por uma urbanização e modernização substanciais, mas o fato de ter uma relação dívida/PIB tão baixa sugere que o país pode gastar mais dinheiro para resolver seus desafios.


Dê uma olhada na Rússia que, mesmo atormentada pela corrupção e crescimento lento, apresenta uma taxa de dívida de 16%, o que significa que não terá uma crise econômica tão cedo.


O grande desafio para os formuladores de políticas públicas dos países com dívida é promover o crescimento do país para sanarem uma dívida esmagadora que vale mais do que todo o seu PIB ou praticam mudanças substanciais em seu comportamento fiscal para poder sair do vermelho. Qualquer das opções representa sérios desafios para o crescimento econômico desses países, a exemplo do Brasil.


Time Observatório

Fonte: Howmuch.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001