Um novo debate “gordura versus carboidratos” - cientistas buscam consenso

O que é melhor, uma dieta com baixo teor de gordura e alto teor de carboidrato ou uma dieta rica em gordura e pobre em carboidratos - ou é o tipo de gordura que importa?


Um novo artigo, capa da edição especial da revista Science sobre nutrição, de pesquisadores da Harvard T.H. Chan School of Public Health, Hospital Infantil de Boston, e colaboradores, com conhecimentos e perspectivas diversas sobre o assunto, chegaram a um consenso e uma agenda de pesquisa futura no tema.


Para o Médico e Professor David Ludwig, autor do estudo, a estratégia para transcender as guerras da dieta é contar com pontos de vistas de diferentes áreas de especialização.


Os autores expuseram as evidências de três posições contrastantes a respeito das diretrizes alimentares para o consumo de gordura e carboidratos:


1) O alto consumo de gordura causa obesidade, diabetes, doenças cardíacas e possivelmente câncer, portanto dietas com baixo teor de gordura são ideais;

2) Carboidratos processados ​​têm efeitos negativos no metabolismo; dietas com baixo teor de carboidratos ou cetogênicas (muito baixo teor de carboidrato) com alto teor de gordura são melhores para a saúde;

3) A quantidade relativa de gordura e carboidrato na dieta tem pouca importância à saúde - o que é importante é o tipo de fonte de gordura ou carboidrato consumida.


Eles concordaram que:


A evidência atual indica que nenhuma relação específica entre carboidratos e gorduras na dieta é melhor para a população em geral.


Muitas pessoas podem ter boa saúde e baixo risco de doença crônica com uma ampla gama de proporções de carboidratos em relação à gordura.


A substituição de gordura saturada por gorduras insaturadas naturais (como azeites e nozes) e substituição de carboidratos altamente processados ​​por carboidratos não processados ​​(como grãos integrais e vegetais verdes) traz benefícios para a saúde da população em geral.


As gorduras trans produzidas industrialmente são prejudiciais e devem ser eliminadas. O metabolismo da gordura saturada pode diferir nas dietas com restrição de carboidratos, uma questão que requer estudo.


A substituição de carboidratos altamente processados ​​(incluindo grãos refinados, produtos à base de batata e açúcares livres) por carboidratos não processados ​​(vegetais sem amido, frutas, legumes e grãos integrais ou minimamente processados) oferece benefícios para a saúde.


Todas as dietas e fontes de calorias não têm os mesmos efeitos metabólicos em todos.

Fatores biológicos parecem influenciar as respostas a dietas de diferentes composições de macronutrientes.


Para a proporção da população que cresce rapidamente com disfunção metabólica severa ou diabetes, podem ser necessárias dietas mais específicas - e os possíveis benefícios metabólicos de dietas cetogênicas para essas pessoas (uma dieta especializada com baixo teor de carboidratos e alto teor de gorduras, usualmente 70% da energia proveniente da dieta) exige estudos de longo prazo.


Dietas bem formuladas com alta ingestão de gorduras e baixa ingestão de carboidratos não requerem alta ingestão de proteína ou produtos animais. O consumo reduzido de carboidratos pode ser alcançado substituindo grãos, vegetais ricos em amido e açúcares por óleos vegetais não hidrogenados, nozes e castanhas, sementes, abacate e outros alimentos vegetais ricos em gordura.


A revisão foi motivada pelo recente debate contra as dietas pobres em gordura e um ressurgimento do interesse por dietas com baixo teor de carboidratos e alto teor de gordura (exemplo a dieta conhecida como paleolítica) e em dietas cetogênicas, devido às crescentes preocupações com os efeitos adversos em pessoas com dietas ricas em carboidratos processados.


Dentro de suas áreas de discordância, os autores identificaram uma lista de perguntas que, segundo eles, podem formar a base de uma nova agenda de pesquisa na área da nutrição e alimentação, incluindo:


  • Diferentes proporções entre carboidratos e gorduras afetam a composição corporal (proporção de gordura para tecido magro) independentemente da ingestão calórica?

  • As dietas cetogênicas fornecem benefícios metabólicos além daqueles da restrição moderada de carboidratos, especialmente para o diabetes?

  • Quais são as quantidades ideais de tipos específicos de gordura (incluindo gordura saturada) em uma dieta com muito pouco carboidrato?


Descobrir as respostas para essas questões, segundo os pesquisadores, tornará as recomendações nutricionais mais eficazes. O que deve contribuir para a prevenção e tratamento de vários problemas de saúde como as doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes e doenças cardiovasculares.


Time Observatório:

Angélia Berndt

Camilie Pacheco Schmoelz

Danille Biazzi Leal


Fonte: The Harvard Gazette.

Ludwig et al. Dietary Fat: From foe to friend? Science 362; 764-70 (2018).

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001