Tecnologia catarinense permite a medição da glicemia sem uso de sangue

Se você é diabético ou convive com alguém com diabetes se depara constantemente com o incomodo de usar uma amostra do sangue para monitorar a glicemia. No intuito de solucionar o problema o grupo de pesquisa em Engenharia Biomédica da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em Joinville, desenvolveu um sensor eletrônico para medição da glicose, sem a necessidade de amostragens de sangue.

Segundo o pesquisador responsável pelo projeto professor Pedro Bertemes Filho, o mecanismo consiste de um sensor elétrico e de um sensor óptico, sem fios, acoplado à pele que medirão a resposta da intensidade da luz e intensidade elétrica. As informações são transmitidas para um dispositivo dentro de um relógio que se comunica com um celular. O aparelho vai ter um aplicativo fazendo o processamento dessas respostas. O paciente verá no seu celular a taxa de glicose no momento que desejar e com isso gerenciar de forma rápida, pouco invasiva e barata a sua glicemia.


O grupo de pesquisa alcançou uma margem de acerto de 92% nos resultados. Uma tecnologia similar, com uso de sensor de luz, já existe nos Estados Unidos, mas com uma margem de erro significativa, em torno de 67%.


O projeto está na primeira fase, chamada “pré-clínica”, onde os primeiros testes serão feitos com 50 pessoas saudáveis. Posteriormente, serão realizados testes com diabéticos.


Fonte: Noticenter.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001