Santa Catarina segue com a menor taxa de desocupação do Brasil


O IBGE divulgou hoje os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) referente ao terceiro trimestre de 2018. No Brasil, a taxa de desocupação foi de 11,9%. Em 21 das 27 unidades da federação, a taxa de desocupação permaneceu estável em relação ao segundo trimestre de 2018. A única UF em alta (2,3 pontos percentuais) foi Roraima (de 11,2 para 13,5%).


As quedas ocorreram em Mato Grosso (-1,8 p.p.), Tocantins (-1,6 p.p.), Minas Gerais (-1,1 p.p.), Ceará (-1,1 p.p.) e Rio de Janeiro (-0,8 p.p.). No terceiro trimestre de 2018, as maiores taxas de desocupação entre as unidades da federação foram: Amapá (18,3), Sergipe (17,5%) e Alagoas (17,1%). As menores taxas de desocupação foram observadas em Santa Catarina (6,2%), Mato Grosso (6,7%) e Mato Grosso do Sul (7,2%).


Os dados também apontam que Santa Catarina tem o menor percentual de trabalhadores sem carteira (11,6%). No 3º trimestre de 2018, o número de empregados no setor privado sem carteira assinada cresceu 4,7% em relação ao trimestre anterior, um incremento de 522 mil pessoas. Frente ao 3º trimestre de 2017, esse aumento foi de 5,5% (601 mil pessoas). Entre as UFs, as maiores proporções foram no Maranhã (48,9%), Piauí (45,9%) e Paraíba (45,1%), e as menores foram em Santa Catarina (11,6%), Rio Grande do Sul (17,2%) e (18,9%).

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001