Maracujá e pimentão na produção de embalagens

Produzir embalagens comestíveis de sabores e aromas cítricos ou picantes, como o maracujá e o pimentão. O esforço da pesquisa para reduzir as perdas de frutas e hortaliças no País – em torno de 40% - é um dos destaques da Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP) na maior feira internacional de alimentos e bebidas, a ANUFOOD, em São Paulo.


Se antes a pesquisa usava apenas a polpa da fruta, nessa etapa de desenvolvimento, praticamente tudo é aproveitado, incluindo a casca. No evento, que será realizado de 12 a 14, no São Paulo Expo, serão apresentadas embalagens comestíveis de sabor morango, maracujá, mamão e pimentão, resultado de mais de uma década de pesquisas no Laboratório Nacional de Nanotecnologia para o Agronegócio (LNNA).


"A proposta é o reaproveitamento de frutas e hortaliças, em formato de película, para servir como alimento e aumentar o tempo de vida desses produtos em até dois anos", diz o chefe adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Instrumentação.


“A escala ainda é de laboratório, por isso, a participação na feira é uma excelente oportunidade de prospecção de parceiros interessados na produção em âmbito industrial”, diz a chefe adjunta.


A pesquisa para um sistema para monitoramento da qualidade e rastreamento de frutas e hortaliças, baseado em sensor colorimétrico e aplicativo para uso em celular está sendo desenvolvida em parceria com a empresa Siena Idea, desde 2017.


Para saber mais sobre a notícia: Maracujá e pimentão na produção de embalagens comestíveis acesse aqui


Fonte: Embrapa, 2019. Foto: Samuel Vasconcelos.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001