Economia desaquece em março, mas indústria segue com recorde de vagas no ano

O mercado de trabalho de Santa Catarina fechou 2.976 postos de trabalho em março de 2019, mas no ano houve abertura de 43.300 vagas de emprego. Na indústria de transformação, o desempenho catarinense também foi positivo com a abertura de 3.253 vagas no mês e de 27.910 no ano. No acumulado, destacam-se os setores Têxtil do Vestuário, Alimentício e Móveis e Madeira.


Análise do Saldo de Empregos


Os dados divulgados pelo CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – mostraram que o mercado de trabalho em Santa Catarina admitiu 88.362 trabalhadores e desligou 91.338 em março de 2019, o que resultou no fechamento de -2.976 postos de trabalho, variação de -0,15% em relação ao volume do mês anterior. Apesar do saldo negativo no mês, destacam-se os resultados positivos da Indústria de Transformação (com saldo de 3.253), Administração Pública (505) e Construção (121). Os setores que mais influenciaram o desempenho negativo no mês foram a Agropecuária (-2.573), os Serviços (-2.352) e o Comércio (-1.811).



No acumulado de 2019, a indústria de transformação acumula saldo de 27.910 empregos, com o destaque ao setor Têxtil do Vestuário, que soma 8.697 vagas. As atividades relacionadas a Produtos Alimentícios e Madeira e Mobiliário se destacam como o segundo e terceiro setores que mais geraram vagas no ano, 3.659 e 2.693, respectivamente. Outro destaque é observado nos setores de material de transporte e mecânica, que tiveram melhor desempenho em março deste ano em comparação com 2018.


No comparativo com os meses de março dos nove anos anteriores (2010-2019), percebe-se que o mês atual vem se recuperando desde 2016, apesar da ligeira queda registrada neste ano em relação a 2018. Historicamente, o desempenho acumulado do ano é o maior desde 2010. Esse resultado foi fortemente influenciado pelo resultado dos setores têxtil e de alimentos.


Municípios


O gráfico abaixo mostra os maiores destaques (positivos e negativos) no saldo total de empregos no ano para os municípios catarinenses. Os três maiores desempenhos ficaram entre Joinville (5.512), Blumenau (3.113) e Brusque (2.383). Do lado oposto ficaram Florianópolis (-1.759), Balneário Camboriú (-476) e São Francisco do Sul (-49). No mês, Joinville também se destacou com o maior saldo em termos absolutos (930 novos postos de trabalho), seguido por Chapecó (com 439) e Brusque (com saldo de 396).


Brasil e outros estados


Em março de 2019, o Brasil fechou 43.196 postos de trabalho. Este valor é resultado do recuo de cinco dos oito setores de atividades considerados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, tendo principal destaque o Comércio (-28.803), seguido da Agropecuária (-9.545 postos) e da Construção Civil (-7.781). No emprego total do mês, o saldo foi puxado pelo recuo em todas as regiões brasileiras: Nordeste (-23.728), Sudeste (-10.673), Norte (-5.341), Sul (-1.748) e Centro-Oeste (-1.706). Entre os estados, registraram abertura de vagas no mês Minas Gerais, que criou 5.163 novos postos, seguido de Goiás (2.712) e Bahia (2.569).


Com relação à Indústria de Transformação nacional, houve crescimento em 10 dos 12 subsetores em 2019. Os principais destaques foram as indústrias de Têxtil e Vestuário (15.086 postos), Calçados (14.611), Borracha e Fumo (14.394) e Metalurgia (9.318). Os setores que fecharam postos de trabalho foram Alimentos e Bebidas (-19.826) e Papel (-13).

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001