Custos com plano de saúde preocupam empresas

Atualizado: 24 de Set de 2018


Representando entre 12% e 20% dos gastos com pessoal em uma empresa, a despesa com planos de saúde tem sido percebida pelas empresas como um foco de desperdícios e ineficiência.


Em busca de soluções, companhias têm unido esforços para trocar experiências em busca de gestões mais atentas, com foco em prevenção e ferramentas próprias para melhorar a eficiência, reduzir custos com planos de saúde e contar com trabalhadores mais saudáveis.


O Grupo GPA por exemplo, criou uma linha “0800”, chamada de “Alô saúde” para atender queixas de saúde dos funcionários espalhados por todo país. Segundo o diretor de Recursos Humanos do grupo GPA, Frederico Lopes, através deste canal é possível antecipar e orientar cerca de 80% dos casos que antes só eram percebidos quando a pessoa chegava ao pronto socorro.


Segundo dados da Agencia Nacional de Saúde Suplementar (ANS), dos 47,4 milhões de beneficiários de planos privados registrados no país em 2017, cerca de 80% correspondem a planos coletivos (empresariais ou por adesão).


Apesar do tema ainda ser abordado com cuidado pelas empresas, uma vez que pode dar a impressão de estarem interessadas em reduzir direitos dos trabalhadores, ações comuns podem ser discutidas e identificadas entre as empresas, como a organização dos dados de saúde dos empregados, visando compreender os principais problemas de saúde da empresa e planejar estratégias mais eficientes na promoção da saúde.


Confira matéria completa sobre o tema em Valor Econômico.


Fonte: Agencia Nacional de Saúde Suplementar (ANS), 2012 a 2017.


  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001