Conheça o Protocolo Corona, uma solução completa para blindar a indústria contra o coronavírus





Para ampliar as atividades industriais de forma segura, a Federação das Indústrias lançou o Protocolo Corona, um conjunto de serviços que visam reforçar ainda mais o papel de protagonismo das indústrias no enfrentamento do coronavírus. O objetivo é ajudar a indústria a traçar um plano de ação para reduzir a propagação da doença, com medidas como a adoção de equipamentos e sistemas adequados de proteção dos indivíduos, dos ambientes e da coletividade em geral, além da realização de testes e o monitoramento da saúde por meio de um software.


A aplicação web, chamada de Coronadados, permite às empresas monitorarem a evolução do vírus entre seus colaboradores, desde os primeiros sintomas, e tomar as decisões certas para conter a disseminação. “Queremos que as cadeias produtivas sejam protagonistas na diminuição da velocidade da transmissão do vírus. Por isso, criamos protocolos de segurança que permitem às indústrias o acompanhamento da situação dos seus trabalhadores”, afirma o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar.

O software é abastecido por dados informados pelos próprios trabalhadores, que respondem diariamente se apresentam ou não sintomas por meio de mensagens enviadas a um número do Telegram. Os líderes das equipes podem checar no sistema se os colaboradores já responderam à pesquisa e, assim, ampliar o engajamento com a ferramenta. “Com base nestas informações, as equipes de saúde e segurança do trabalho das indústrias podem agir, promovendo o isolamento preventivo, testes e ações de higienização do ambiente”, explica Aguiar. O sistema permite acompanhar o tempo de recuperação dos infectados e contribui para o chamado “achatamento” da curva de contaminação.


"A estrutura sistêmica do Protocolo Corona define um conjunto de ações que as indústrias de cada setor podem realizar, como tratar as pessoas infectadas e manter a produtividade e a qualidade", explica o diretor de educação e tecnologia da FIESC, Fabrizio Machado Pereira. "Também inclui a adoção de equipamentos e sistemas adequados de proteção dos indivíduos, dos ambientes e da coletividade em geral, e a realização de testes em massa, devidamente planejados conforme a necessidade e situação", completa. O SESI orientará as indústrias sobre o melhor tipo de teste para o público e ajudará o setor produtivo a aplicar o melhor protocolo de saúde nos casos identificados. Saiba mais sobre a aplicação de testes.


O protocolo conta ainda com a adoção de ferramentas, sistemas e soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação para promover o monitoramento, rastreamento, análise e ação para isolar os infectados, preservar os não-infectados e manter o controle da pandemia.


Assessoria de Imprensa

Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001