5 importantes tendências do mercado de trabalho para 2019

A rápida evolução tecnológica traz tendências para os novos modelos de trabalho e de perfis profissionais, e 2019 não será diferente. Segundo a CNBC, os pontos chaves para essa transformação são:


- Mudanças demográficas e análise de dados que estão estimulando mudanças no local de trabalho.

- Espera-se que os trabalhadores da Geração Z representem 36% da força de trabalho até 2020.

- Os idosos prorrogarão a aposentadoria e trabalharão mais.

- Mais empregados vão querer se alinhar com os empregadores que estão envolvidos em uma missão social.

- Cada vez mais os empregadores acompanharão seus empregados usando análise de dados.


1. Geração Z está se juntando à sua força de trabalho


A Geração Z está se unindo rapidamente à força de trabalho, seus membros mais velhos têm cerca de 23 anos de idade e as empresas precisam adaptar suas estratégias de recursos humanos para garantir que possam atrair e reter esses jovens talentos. Esses novos participantes são nativos digitais que esperam encontrar uso estratégico de software e tecnologia no local de trabalho, já que eles são a primeira geração a crescer inteiramente em uma sociedade centrada na Internet.


Se por um lado os nativos digitais estão familiarizados com tecnologia, e dependem dela para quase tudo, por outro têm uma diminuição das suas habilidades sociais, de comunicação e de escrita profissional. Estar ciente das idiossincrasias da Geração Z pode ajudar a integrá-los à sua equipe existente com mais rapidez e eficiência, além de ajudar a garantir que seu local de trabalho seja a opção certa para uma equipe com vários perfis geracionais.


2. Sua vida útil de 100 anos


Além de se concentrar nos jovens profissionais que ingressam na força de trabalho, ênfase semelhante está sendo colocada na mudança de carreira e trajetória de vida em todas as gerações. Nos países desenvolvidos, com mais acesso a cuidados de saúde eficazes, muitas pessoas estão chegando ao seu 100º aniversário, o que implicará em carreiras profissionais prolongadas. As empresas e seus trabalhadores planejam aumentar a idade da aposentadoria revisando o papel das pensões, benefícios e acomodação física programada para empregados mais velhos e mais experientes.


No Japão, por exemplo, a expectativa é que metade de todos os bebês nascidos atualmente vivam 100 ou mais anos. Para tanto, o país desenvolveu entre 2017-2018 um plano nacional que oferecerá as empresas e as instituições de ensino apoio para os trabalhadores idosos com iniciativas como aumento de pensões e atendimento médico.


Com as pessoas mudando de carreira e de trabalho com mais frequência ao longo de sua vida, as empresas estão se preparando para uma força de trabalho mais dinâmica e flexível, com trabalhadores que desejam expandir continuamente suas qualificações de forma multifuncional. A diversificação de seu currículo e o conjunto de habilidades permitirá que você continue contribuindo para o negócio da empresa e tenha uma carreira profissional mais longa. Se você estiver procurando por crescimento de carreira, considere a movimentação horizontal em toda a organização como uma opção alternativa, em vez de visar apenas a promoção tradicionalmente vertical.


3. Seja mais do que bom


Como muitos gigantes da tecnologia e do varejo viram recentemente, fazer o bem não é bom o suficiente. Com um clima político global tumultuado e alguns governos que respondem às crises com pouca responsabilidade, cabe aos líderes empresariais atuarem com Responsabilidade Social Corporativa (RSC). As expectativas da sociedade e as exigências dos empregados estão se tornando regras pelas quais as empresas devem operar, e precisam estar dispostas e prontas para responder a essas novas demandas. A Amazon e a Target lançaram iniciativas salariais sustentáveis ​​que estabelecem metas de salário mínimo de US$ 15/hora após manifestação pública.


As empresas estão trabalhando cada vez mais para alinhar sua missão, visão e valores com as de seus empregados. No entanto, 56% das organizações ainda não têm a Responsabilidade Social Corporativa como uma prioridade o que pode representar uma oportunidade para as empresas e para seus trabalhadores.


4. Prepare-se para a ascensão da economia gig


O baixo nível global de engajamento dos empregados e o desejo dos trabalhadores mais jovens de deixaram a organização dentro de cinco anos estão servindo de estímulo para a “economia gig”- composta por contrato individual ou por trabalho por projeto. Com isso as empresas estão se afastando da tentativa de manter os empregados por mais tempo e estão reduzindo os custos associados a questões como rotatividade.


Mas ainda existirão aqueles trabalhadores que irão preferir um vínculo empregatício mais tradicional, já que o mesmo traz consigo benefícios corporativos como planos de saúde e férias remuneradas.


5. Tudo sobre você (e seus dados)


Os dados do consumidor têm sido objeto de desejo de muitas empresas, que os utilizam para tomar suas decisões. Mais recentemente as empresas estão direcionando seu foco na coleta de dados de seus empregados para fins semelhantes. Com mais tecnologia e mídias sociais no ambiente de trabalho, os empregadores têm maior capacidade de coletar e avaliar os comportamentos dos empregados. Coletar dados sem comprometer a confiança das pessoas é imperativo, e as empresas devem ser transparentes a respeito do que estão coletando e para o que usarão os dados.


Algumas empresas estão analisando padrões de comunicação em sistemas internos de mensagens e fornecendo aos seus empregados rastreadores para coletar dados de saúde. Espera-se que o acompanhamento da saúde, em particular, apresente um crescimento significativo, já que tecnologias vestíveis como relógios inteligentes com funcionalidade de rastreamento de saúde, estão sendo incluídos nos planos de bem-estar dos empregados. A previsão é que até 2021, 90% dos planos de bem-estar nos EUA incluam rastreadores de saúde.


À medida que o ambiente de trabalho evolui para atender as demandas impulsionadas pelas transformações tecnológicas, sociodemográficas, econômicas e políticas, caberá cada vez mais aos indivíduos serem defensores e responsáveis pela sua educação para evitarem ficar para trás. A recomendação é que você expanda continuamente seu conjunto de habilidades, mantenha a mente aberta para novos pessoas e experiências e entenda como se encaixa no futuro do seu local de trabalho para permanecer competitivo à medida que nos movemos para 2019 e além dele.


Time Observatório:

Angélia Berndt

Danielle Biazzi Leal

Camilie Pacheco Schmoelz


Fonte: https://www.cnbc.com/2018/12/13/5-top-workplace-trends-to-watch-in-2019.html


Nota: A CNBC e a YPO formaram uma parceria editorial exclusiva que consiste em “Redes de Diretores Executivos” regionais nas Américas, EMEA e Ásia-Pacífico. Essas redes de executivos são compostas por uma amostra da rede global da YPO, composta por 26.000 executivos de 130 países que estão na linha de frente da economia e administram empresas que geram coletivamente US$ 9 trilhões em receita anual.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Iniciativa da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001