LOGO_SCEMDADOS.png

Navegue pelos setores

IC_AGRO.png
BC-ICON.png
CERAM_ICON.png
CP_ICON.png
CC_ICON.png
ECONOMAR_ICON.png
ENE_ICON.png
INDEM_ICON.png
MEIO_ICON.png
MMM_ICON.png
MM_ICON.png
PQP_ICON.png
SAUDE_ICON.png
TIC_ICON.png
TC_ICON.png
LOGO_SCEMDADOS.png

MÓVEIS & MADEIRA

GRANDES

NÚMEROS

65.229
Empregos

8,7% da indústria de SC

5.317
Estabelecimentos

10,6% da indústria de SC

R$ 7,34 bilhões
Valor Bruto da Produção Industrial

5,4% da indústria de SC

R$ 3,69 bilhões
Valor da Transformação Industrial

6,3% da indústria de SC

R$ 54,3 mil
Produtividade

por trabalhador industrial

Exportações

US$ 1,2 bilhão
13,5% da indústria de SC

Importações

US$ 75,7 milhões
0,5% da indústria de SC

Posição em Santa Catarina

16º

Produtividade
 

Exportações
 

Estabelecimentos
 

Empregos
 

MÓVEIS & MADEIRA

MERCADO 

DE TRABALHO

65.229
Empregos

8,7% da indústria de SC

5.317
Estabelecimentos

10,6% da indústria de SC

 

Acesse os painéis de Empregos e Estabelecimentos  e filtre os indicadores conforme sua escolha

Estabelecimentos e empregos segundo o porte

Dos 5.317 estabelecimentos, 98,2% são micro ou pequenas indústrias (até 99 empregados). Juntos, esses estabelecimentos empregam 63% dos trabalhadores do setor.

EMPREGOS

ESTABELECIMENTOS

74,3%
66%
25,7%
34%
R$ 1.764
R$2.323
49,1%
60,9%
50,9%
39,1%

Quanto ao perfil dos trabalhadores, destaca-se que a remuneração média do setor é de R$ 1.764, valor inferior à média da indústria (R$ 2.323). O gênero predominante é o masculino (74,3%), e 49,1% dos trabalhadores possuem escolaridade básica completa, percentual abaixo do observado para a indústria catarinense (60,9%).

Evolução do número de estabelecimentos e empregos

O setor mostrou variação de -0,6% no número de empregos entre 2010 e 2017, uma média de -0,1% ao ano. Em termos de estabelecimentos, houve ampliação de 6,2% no mesmo período, com taxa média de 0,9% ao ano.

EMPREGOS

ESTABELECIMENTOS

Composição dos empregos

Dentro do setor, a atividade de Fabricação de móveis é a predominante, com 42,3% dos trabalhadores. Na sequência aparecem as atividades de Fabricação de produtos de madeira, cortiça e material trançado, exceto móveis (com 37,8%) e Desdobramento de madeira (com 19,9%).

PARTICIPAÇÃO DOS EMPREGOS (%)

Distribuição dos empregos por município

Os municípios de maior destaque no setor de Móveis e madeira são Caçador (8,2%), São Bento
do Sul
(7,5%) e Rio Negrinho (4,4%), que juntos empregam 20% dos trabalhadores desse setor em Santa Catarina.

1º CAÇADOR

5.317 (8,2%)

2º SÃO BENTO DO SUL

4.879 (7,5%)

3º RIO NEGRINHO

2.874 (4,4%)

MÓVEIS & MADEIRA

PRODUÇÃO

R$ 3,69 bilhões

Valor Bruto da Produção Industrial

6,3% da indústria de SC

R$ 3,69 bilhões

Valor da Transformação Industrial

6,3% da indústria de SC

 

Acesse os painéis de Produção Industrial e filtre os indicadores conforme sua escolha

Produção Industrial & Transformação Industrial

Em 2016, o Valor da Bruto da Produção Industrial (VBPI) do setor de Móveis e Madeira foi de R$ 7,35 bilhões, o que representa uma queda de 7,1% em relação a 2015. Já o Valor da Transformação Industrial (VTI) do setor de Móveis e Madeira foi de R$ 3,69 bilhões, o que representa uma queda de 3,9% em relação a 2015. 
 

O Grau de Industrialização (calculado a partir da participação do Valor da Transformação sobre o Valor Bruto da produção) do setor de Móveis e Madeira é de 50,2%, superior à média da indústria de Santa Catarina (de 39,7%). 

Evolução da produtividade

A produtividade do trabalhador pode ser mensurada de diversas formas, uma delas é a partir da razão entre o Valor da Transformação Industrial e o Número de Pessoas Ocupadas.

Em 2016, a produtividade do setor de Móveis e Madeira alcançou o valor de R$ 54,4 mil por trabalhador, variação de -1,16% em relação a 2015.
 

PRODUTIVIDADE (EM R$ MIL)

Evolução da produção física industrial

Na atividade de Móveis e madeira, o ano de 2017 fechou com variação de 1,2% em sua Produção Industrial. Esse valor é inferior ao observado no Brasil, que foi de 2%. 

MÓVEIS & MADEIRA

COMÉRCIO EXTERIOR

Exportações

US$ 1,2 bilhão

13,5% da indústria de SC

Importações

US$ 75,7 milhões

0,5% da indústria de SC

 

Acesse os painéis de Comércio Exterior e filtre os indicadores conforme sua escolha

Evolução da balança comercial

Entre 2012 e 2018, o setor apresentou variação de 9,8% nas exportações e -26,7% nas importações. Esse desempenho nas vendas externas foi acima do observado para Santa Catarina (-4,6%) e, nas importações, maior que o do Estado (-13,5%).

Principais produtos exportados

Do total de US$ 1,2 bilhões exportados pelo setor de Móveis e Madeira em 2018, destacam-se as vendas dos produtos Madeira serrada, e Outros móveis com participação de 22,84% e 21,88%, respectivamente.

Destinos

Entre as exportações do setor de Móveis e Madeira em 2018, as relações comerciais de maior destaque são com a Estados Unidos, com 46,81% do total de vendas do setor, México (6,68%) e Reino Unido (5,76%).

Principais produtos importados

Do total de US$ 75,7 milhões importados pelo setor de Móveis e Madeira em 2018, destacam-se as compras dos produtos Suportes elásticos para camas, Outros móveis e Outros artigos de madeira, com participação de 49,7%, 20% e 8,73%, respectivamente.

Origens

Entre as importações do setor de Móveis e Madeira em 2018, as relações comerciais de maior destaque são com China, com 72,4% do total de compras estrangeiras do setor, seguido por Itália (6,69%) e Argentina (3,39%) também merecem destaque.

 
MÓVEIS & MADEIRA

SAÚDE

1.462 

ACIDENTES DE TRABALHO

em 2017

25,28 acidentes a cada 1.000 trabalhadores

5

MORTES

decorrentes de acidentes de trabalho em 2017

Acesse os painéis de Saúde e filtre os indicadores conforme sua escolha

Acidentes de trabalho

O setor mostrou queda na taxa de acidentes de trabalho (acidentes a cada 1.000 trabalhadores) de 37% entre 2012 e 2017, uma média de -5% ao ano. Em 2017, esses registros representaram 8,7% do total do estado. Maior parte dos acidentes foram típicos, decorrentes da característica da atividade profissional desempenhada pelo indivíduo. As partes do corpo mais afetadas devido aos acidentes foram as mãos e pés. Os dados aqui apresentados correspondem aos acidentes de trabalho com e sem comunicação (CAT).

Nota: Partes do corpo mais atingidas em acidentes com Comunicação de Acidentes de Trabalho (não considerados os acidentes sem CAT). 


Fonte: Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, 2017.

TIPOS DE ACIDENTE DE TRABALHO

EVOLUÇÃO DOS ACIDENTES DE TRABALHO E MORTES DECORRENTES DE ACIDENTES DE TRABALHO

PARTES DO CORPO MAIS ATINGIDAS

5,9%

Cabeça

6,6%

Pés

Mãos

55,8%

Afastamentos do ambiente de trabalho por motivo de saúde

Em 2017, a maioria (84,6%) dos afastamentos por motivo de saúde do Setor decorreram de doenças não relacionadas ao trabalho. A estimativa de custo das empresas com os 15 primeiros dias de afastamento por motivos de saúde, em 2017, foi de R$ 4.283.125,30. Lembrando que neste valor não estão incluídos os encargos salariais.

MOTIVOS DOS AFASTAMENTOS DO AMBIENTE DE TRABALHO

EVOLUÇÃO DOS AFASTAMENTOS DO AMBIENTE DE TRABALHO

Nota: Os dados de afastamentos do ambiente de trabalho apresentados neste documento são referentes aqueles superiores ou inferiores a 15 dias, independentemente de ter gerado benefício no INSS.  

Consequências dos afastamentos

CUSTO PARA EMPRESA COM AFASTAMENTO

Gastos com os primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador por motivo de saúde (média salarial)

R$ 4.283.125,30

2,8% da massa salarial

GASTOS TOTAIS COM SAÚDE

R$ 852.106,64

gastos com afastamentos ocupacionais

0,6% da massa salarial

R$ 3.431.018,66

gastos com afastamentos por doença não relacionada ao trabalho

2,2% da massa salarial

Benefícios acidentários concedidos

Entre 2012 e 2017, o setor apresentou variação de -35% na taxa de benefícios acidentários concedidos (número de benefícios concedidos a cada 1.000 trabalhadores). Em 2017, 939 trabalhadores do setor foram afastados do emprego por um período superior a 15 dias, o que gerou auxílio-doença acidentário. Os trabalhadores do setor ficaram em média 99 dias afastados. Fraturas e doenças osteomuscular e do tecido conjuntivo foram as principais causas da concessão do benefício.

939

benefícios acidentários concedidos em 2017
16,24 benefícios a cada 1.000 trabalhadores

99,98

dias de trabalho

perdidos por benefício

R$ 3,9

milhões

custo previdenciário

PRINCIPAIS CAUSAS DE CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS

EVOLUÇÃO DOS BENEFÍCIOS

 

MÓVEIS & MADEIRA

TENDÊNCIAS TECNOLÓGICAS

E DE MERCADO

CERTIFICAÇÃO

DESIGN

TIC

Acesse os painéis de Tendências Tecnológicas e de Mercado e filtre os indicadores conforme sua escolha

Certificação

Certificação refere-se à confirmação de certas características de um objeto, pessoa ou organização. Essa confirmação é frequentemente, mas nem sempre, fornecida por alguma forma de revisão, educação, avaliação ou auditoria externa. Acreditação é o processo de certificação de uma organização específica. De acordo com o Conselho Nacional de Medição em Educação, um teste de certificação é um teste de credenciamento usado para determinar se os indivíduos são instruídos o suficiente em uma determinada área ocupacional para serem rotulados como “competentes para a prática” nessa área. Este conceito também é aplicado para as organizações.

Design

Design é a criação de um plano ou convenção para a construção de um objeto, sistema ou interação humana mensurável (como em esquemas arquitetônicos, desenhos de engenharia, processos de negócios, diagramas de circuitos e padrões de costura). O design tem diferentes conotações em diferentes campos. Em alguns casos, a construção direta de um objeto, como na cerâmica, engenharia, gerenciamento, codificação e design gráfico. 
O design, muitas vezes, exige considerar as dimensões estéticas, funcionais, econômicas e sociopolíticas do processo de projeto e objeto de design. Pode envolver pesquisas, pensamentos, modelagens, ajustes interativos e redesenhos consideráveis. Enquanto isso, diversos tipos de objetos podem ser projetados, incluindo roupas, interfaces gráficas de usuário, produtos, arranha-céus, identidades corporativas, processos de negócios e até mesmo métodos ou processos de projetos.

Tecnologias da Informação e Comunicação – TIC 

Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) é um termo estendido para tecnologia da informação (TI) que enfatiza o papel das comunicações unificadas e da integração de telecomunicações (linhas telefônicas e sinais sem fio), computadores, software empresarial, middleware, armazenamento e sistemas audiovisuais, que permitem aos usuários acessar, armazenar, transmitir e manipular informações. O quadro de habilidades para a Era da Informação é um dos muitos modelos para descrever e gerenciar competências para profissionais de TIC para o século XXI.

Fontes

Empregos e Estabelecimentos: Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).
Valor Bruto da Produção Industrial, Valor da Transformação Industrial e Produtividade: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Exportações e Importações: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Pesquisa Indicadores Industriais – Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC).

Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001