Navegue pelos setores

BC-ICON.png
CERAM_ICON.png
CP_ICON.png
CC_ICON.png
ECONOMAR_ICON.png
ENE_ICON.png
INDEM_ICON.png
MEIO_ICON.png
MMM_ICON.png
MM_ICON.png
PQP_ICON.png
SAUDE_ICON.png
TIC_ICON.png
TC_ICON.png

INFRAESTRUTURA

ENERGIA

De acordo com os dados do Balanço Energético Nacional de 2016, Santa Catarina ocupa o 7º lugar no ranking de geração de eletricidade. Como principais fontes de energia, têm-se a hidrelétrica e a termelétrica (especialmente, carvão mineral, lenha e licor negro), responsáveis por 71% e 24% da energia total gerada, respectivamente. O Estado também se destaca como 2º maior gerador de eletricidade através da lenha, ficando atrás apenas do Paraná.

Matriz de Energia Elétrica de Santa Catarina

Distribuição de fontes de energia em Santa Catarina

SANEAMENTO

Segundo dados de 2015 do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) do Governo Federal, Santa Catarina tem um índice de atendimento total de água de 86,8%, taxa acima da média nacional, que é de 83,3%. O fornecimento é oferecido a 66% dos municípios pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (CASAN) e, nos demais, por companhias locais (SAMAEs).

Informações do cenário nacional do SNIS (2015) indicam que, de toda a água coletada e tratada no país, 37% é perdida em vazamentos, roubos e ligações clandestinas, falta de medição ou medições incorretas no consumo, incorrendo em prejuízo de cerca de R$ 8 bilhões ao ano.

Quanto ao acesso à coleta de esgoto, mais de 100 milhões de brasileiros não acessam esse tipo de serviço, o que compreende 50,3% da população, de acordo com os dados do SNIS (2015). A fragilidade dos índices de coleta e tratamento de esgoto é uma das maiores dificuldades do Estado de Santa Catarina. Apenas 19,4% dos catarinenses têm coleta de esgoto, dos quais 24% são tratados, números que são bem inferiores à média nacional e da Região Sul.

TRANSPORTE

Modais de Comércio Exterior

Os modais utilizados nas importações e exportações de produtos catarinenses estão divididos nos três principais meios de transportes: marítimo, rodoviário e aéreo.

Apesar das quedas em termos absolutos, a importação por esses três modais mantém sua participação relativa, o que se deve à redução mais intensa dos bens comercializados via transporte ferroviário e à falta de informações quanto ao meio fluvial e lacustre.  


Quanto ao escoamento da produção de Santa Catarina, os transportes marítimos e rodoviários ganham aindamais representação, com 86% e 12%, respectivamente, deixando para o modal aéreo apenas 2% do valor total.

Cabe destacar que entre os quatro principais modais, o rodoviário foi o único que apresentou crescimento no seu valor global entre 2015 e 2016.


 

RODOVIAS

O sistema rodoviário é utilizado para o transporte de mercadorias e pessoas por veículos automotores (ônibus, caminhões e veículos de passeio). Como possui, na maioria dos casos, preço de frete superior ao hidroviário e ao ferroviário, é adequado para mercadorias de alto valor ou perecíveis, produtos acabados ou semiacabados.

Distribuição das Rodovias em Santa Catarina

Distribuição, em porcentagem, da frota de autoveículos
por unidades da federação em dezembro de  2016

UNIDADES POR 100 HABITANTES

FERROVIAS

O sistema rodoviário é utilizado para o transporte de mercadorias e pessoas por veículos automotores (ônibus, caminhões e veículos de passeio). Como possui, na maioria dos casos, preço de frete superior ao hidroviário e ao ferroviário, é adequado para mercadorias de alto valor ou perecíveis, produtos acabados ou semiacabados.

Distribuição das Ferrovias em Santa Catarina

Participação do modal ferroviário na matriz de transportes, Santa Catarina e países selecionado

Ainda que esses benefícios da malha ferroviária sejam conhecidos, a participação desse modal na matriz de transportes brasileira e catarinense se encontra em nível inferior ao de países de grande área territorial. Deste modo, os investimentos para a ampliação das linhas férreas estão entre as principais propostas para o aumento da competitividade catarinense. Entre as iniciativas, destacam-se a implantação da Ferrovia Litorânea e o Corredor Ferroviário Leste-Oeste.

PORTOS

Distribuição dos Portos de Santa Catarina

Distribuição dos Portos de Santa Catarina

A estrutura portuária é uma das principais vantagens competitivas catarinense. São cinco os principais portos, estrategicamente distribuídos pelos 500 km da costa catarinense, que fazem do Estado um grande centro logístico no país. A comercialização de produtos com parceiros comerciais escoa pelos portos de Itajaí, São Francisco do Sul, Imbituba, Navegantes e Itapoá, enquanto que o porto de Laguna atua voltado à pesca.

Nas importações brasileiras, mais de 18% dos contêineres (TEUs) chegam via portos catarinenses.

Movimentação de cargas nos portos de Santa Catarina, em 2014, 2015 e 2016

Os cinco portos marítimos catarinenses são bem equipados e mantêm linhas regulares com as principais cidades portuárias do mundo. Juntos, eles movimentam anualmente cerca de 18 milhões de toneladas e somam quase 20% das movimentações de contêineres (TEU) brasileiros em 2016.

Nessa participação, somente o Porto de Navegantes movimenta 10,2% do total, situando-se em segundo no ranking nacional. Além dele, os outros quatro portos catarinenses marcam presença entre os 20 principais portos brasileiros no critério de movimentação de contêineres.

AEROPORTOS

Santa Catarina possui cinco principais aeroportos: Hercílio Luz (Florianópolis), Ministro Victor Konder (Navegantes), Lauro Carneiro de Loyola (Joinville), Diomício Freitas (Criciúma/Forquilhinha) e Serafin Enoss Bertaso (Chapecó).

Entre 2010 e 2016, o movimento de aeronaves em voos domésticos e internacionais aumentou 1,26% ao ano, enquanto que o número de passageiros subiu 5,57%. Esse desempenho positivo se deve, basicamente, ao crescimento dos voos domésticos, que ampliaram em 1,7% a participação de aeronaves e 5,8% de passageiros. Ainda nesse quesito, os aeroportos que apresentaram maiores crescimentos foram o de Criciúma/Forquilhinha (17,1%) e Joinville (10,1%), mas Florianópolis continua tendo maior destaque na movimentação total de passageiros, com 59%.


 

Distribuição dos Aeroportos de Santa Catarina

Taxa de crescimento da movimentação de passageiros nos aeroportos catarinenses
 

Participação dos aeroportos na movimentação de passageiros em 2015
 

A movimentação de aeronaves mostra dois momentos no Estado. Até 2012, quando todos os aeroportos ampliam os voos domésticos e, após isso, quando inicia uma redução nas operações, de modo que em 2016 a movimentação estava próxima da observada em 2010. As perdas nesse período são especialmente maiores nos voos internacionais, dificultando o acesso de passageiros a Santa Catarina.

Movimentação de Aeronaves nos Aeroportos de Santa Catarina,de 2010 a 2016.

 

Embora o número de voos tenha reduzido, a movimentação de passageiros nos voos domésticos cresceu até 2016. O destaque fica para a maior movimentação nos aeroportos do interior do Estado.

Movimentação de Passageiros nos Aeroportos de Santa Catarina, de 2010 a 2016

  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina

Rod. Admar Gonzaga, 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001